quarta-feira, 23 de abril de 2008

VONTADE DE CHORAR


Hoje estou com aquela vontade de chorar! Sabe aquela vontade?
E é uma vontade vazia. Cheia de confusões. Estou me sentindo impotente,
sem forças. E sem forças queria mandar o confeiteiro tomar no rabo. Mas ele iria gostar!
Queria parar de escrever, mas não iria aguentar.
Queria escrever mais. E melhor!
Queria compor uma odisséia musical... Não saberia fazer.
Estou triste não sei por que.
Estou sem grana. Estou sem rumo. Eu estou numa falência múltipla.
Num processo de auto-mutilação imaginativa.
Estou decapitando minhas idéias, dilacerando meus palpites. Uma sinuca de bico.
Estou no meio de um vermelho intenso. De um verde neurótico, em um amarelo sem precedentes. Que vontade de espirrar...
Ah, tenho alergia a tinta.

Queria poder fazer e fazer...
Fazer e Fazer muitas coisas.

E queria poder eliminar o que não está certo.
Eliminar quem não quer fazê-lo.
Hoje é aquele típico dia que eu deveria dizer: Basta! Suma daqui.
Não quero zelar minha inoperância.
Quero poder ser valente, cristão. Quero ser sexualmente disponível.
Quero não ter caráter, quero deslealdade, desonestidade...
Decidi, não quero ser eu.
Eu quero ouvir os pássaros e não odiá-los,
quero dizer a quem não gosto que eu não gosto.
Quero dar fora e não me importar em magoar.
Quero não me importar quando me dão fora.
Quero receber tudo dentro do prazo. Não quero atrasos.
Quero dizer aos pais e as mães que controle de natalidade é preciso.
PAREM DE TER FILHOS.
Ai, quero dizer as pessoas que eu odeio criança,
Quero dizer que as pessoas são chatas. E cada vez ficam mais.
Quero poder sentir saudade de algumas pessoas,
e atenção: eu preciso mesmo sentir saudade delas,
antes que eu as aniquile da minha vida.
Eu quero paz, e isso significa remover tudo que eu odeio da minha vida.
Então senhores petulantes que perturbam em viver,
não ligarei para vocês,
não falarei quando passar na rua.
Não deixarei recado, não ficarei on-line.
Não tem piscadinha, não tem beijinho, não tem rapidinha.
Estou com vontade de chorar porque não tenho escolha,
estou convivendo com a intrépida companhia dos meus dilemas.
Estou convivendo com a extinção dos valores!
Estou convivendo com a droga da minha vontade de chorar!

4 comentários:

Grazielly disse...

Chorar faz bem... mais ainda debaixo do chuveiro... chore e deixa a água lavar tudo de ruim... depois fica limpo e novo!! hehe
bjuss

Wagner disse...

Já convivo com esse sentimento narrado e bem descrito no seu post à algum tempo... sei que tudo pode ser diferente no inicío... depois de algum tempo percebemos que muito depende de nós e não do mundo como pensamos.
Também moro no estado do Es.
Gostei do seu cantinho.

Wagner disse...

Engraçado que, imagine se eu não estivesse lendo tudo por aqui?
Não ia encontrar a resposta do meu comentário.

Meu blog amigo é:
www.milanezi.zip.net

Aguardo sua visita.
Abraço!

Wagner disse...

"Troquemos..."
Obrigado por me linkar moço. tá linkado já!

Grande abraço!
Satisfação!