quarta-feira, 29 de julho de 2009

TEMPOS MODERNOS?

Mais um dia. Acordo, cumpro meu dia, vou para o trabalho e volto pra casa e torno a trabalhar até a madrugada. O tempo vai passando...


E por que hoje resolvi escrever? Porque eu Tô esquisito. Serão esses tempos modernos? De paixões momentâneas? É incrível... Tudo é tão vazio...


É claro que ninguém é obrigado a querer ninguém. É claro que ninguém é obrigado a ser de alguém. Todavia é inerente ao homem querer viver a dois, compartilhar angústias, alegrias, raivas, enfim, toda a sorte de bobagens.

Me sinto perdido, angustiado nessa coisa toda. Sinto um vazio nas pessoas como nunca, e é claro que isso é resultado desse tempo em que vivemos, em que tudo é muito rápido, tudo é muito efêmero. É incrível que existam pessoas que vivem paixões de uma noite, e até de uma hora. E eu não estou falando daquele tesão sinistro que te leva ao motel e você descarrega burocraticamente suas vontades, estou falando de gente que vive realmente uma paixão de uma hora. E depois ainda escreve em algum meio de diversão virtual que "foi bom enquanto durou" ou "um momento bom é um momento eterno". Meu Deus isso é uma maluquice sem tamanho. É um abuso ao pensamento social e coletivo.

Imagino que daqui a um tempo ficará impossível realmente encontrar alguém para dividir afinidades, sexo e saliva. Às pessoas são fracas, a tudo. Se enfraqueceram, não conseguem tolerar as outras, conversar, dar-se bem. Beijam um aqui, mas o amigo dali do lado é uma graça, e ele é um alvo em potencial... Mas alvo para o que? Que busca é essa?

Afinal o que é que as pessoas estão buscando??? Será que alguém responde? Acredito que daqui há algum tempo chamarão a nossa era , da era do VAZIO. nada é em profundidade. Tudo, absolutamente tudo é raso. Estamos tratando tudo superficialmente, nada é levado á um tom de peso. E estou falando de amor sim. Porque eu não entendo essa merda mais. É claro que já amei. E enquanto amei, foi fantástico, eu era feliz demais, muito, muito, eu tinha uma referência, eu sabia que eu tinha alguém para contar em qualquer momento, porque antes de tudo eu acreditava que havia respeito, amizade, parceria e lealdade. Eu podia contar a qualquer hora. eu tinha ali do meu lado a força , o tempero, o destempero, o prazer, a apoteose e o funeral. Era fantástico. houve um ponto final, porque o amor acabara. Não da minha parte. Resisti apaixonado e crédulo até o fim. E hoje, esse amor virou referência para tudo. Sim para tudo, para qualquer tipo de convivência a dois que eu viesse/virei a ter. E isso é muito maluco , porque eu é quem foi o traído; e do jeito que falo parece que foi ontem? Não foi. Meu casamento acabou há 5 anos atrás. E se eu amo ainda? Não, não mais. Custou, mas Passou. Aquela experiência, foi a maior e mais recompensadora da minha vida.

E me pergunto: passaram 5 anos, e nada? Não vai acontecer de novo? Não vou ficar envergonhado na frente de alguém que eu queira? Não vou mais lutar para ser visto, notado? Me arrumar todo, para que veja bonito? Não vou mais receber um beijo de "oi". Não vou mais ter que reclamar de dormir de concha (O-D-E-I-O- D-O-R-M-I-R- D-E-C-O-N-C-H-A)... quando é que algum vai aceitar que me quer e viver isso, e não encher de problemas o mundo para impedir uma coisa que ele só não deseja, porque é óbvio que o outro está esperando algo no mínimo diferente? CARA, EU NÃO SEI QUE MERDA É ESSA. Mesmo!

É uma volatilidade de sentimentos sem fim, tudo é rápido, é prático demais. Durante esses últimos 5 anos em que meu coração parou de bater, apareceram várias oportunidades, e um exército de gente maluca, realmente doida, que num dia fala que te ama, e depois some, ou então querem você e mais meio mundo, mas ao invés de assumir isso, falam que te amam, que te querem de qualquer jeito mesmo que não seja verdade, mas estão mentindo pra si mesmos por quê? Por que dizer que ama , se não está sentindo? Por que parafrasear uma coisa, que não existe?

Eu acho que as pessoas ficarm burras, estúpidas! Se perderam dentro de tanto poder! estão cegas, porque podem experimentar de tudo numa fração de tempo muito curta. Mas esquecem-se que a solidão é terrível, a solidão machuca... a solidão de verdade dilacera o peito. Porque o ser humano não consegue ficar ilhado em si mesmo. Não consegue se enjaular, pois não é de sua natureza. Eu não sei onde esse mundo quer chegar com essa cultura absurda de negar que somos seres sociais.

Quero saber quando vou poder de novo, rir sozinho no trânsito por causa da lembrança de uma piada ínfame, dos sorrisos, dos mau-humores, das conversas pseudo-sérias e políticas, de ouvir histórias cabeludas da família que é quase minha... Quero sair de mãos dadas, quero ver Tv junto e reclamar do canal, quero brigar de manhãzinha por causa do cobertor e arranca-lo depois pra fazer o sexo matinal... Ouvir sininho, beijar o sapo, sentir mariposa, tremer na base...

3 comentários:

Stace disse...

Baudelaire explica tudo isso... sim... podemos revirar nosso imenso lodaçal de ex-is-tência e às vezes não encontrar razão... ancorarmos uma angústia numa metáfora... ou simplismente ligar um fio desencapado na banheira... tudo é uma questão de escolha. Ninguém é obrigado, já dizia Baudelaire... bjo little cat boy página duma angústia. -você não vale nada mas eu gosto de vc... (bis)... tudo que eu queria era saber por quÊ... tudo que eu queria era saber pq...

Ernane Batista disse...

se quer mudar o mundo, comece arrumando a sua cama .

sinceramenteamigo@hotmail.com disse...

Eu fiquei encantado com teu texto, com a tua forma de se expressar e com a sua vontade de viver algo sólido e destemidamente simples. Parabéns. Você é um excepcional e bom partido.