domingo, 19 de outubro de 2008

A quebra.


Às vezes é preciso largar o que se tem.
Saber das coisas de antemão
Saber dizer que não, que não pode suportar
O peso,
O desprezo
A dor.
É preciso sentar ao lado e dizer::: Olha, não dá!
Mesmo que a gente ame, seja amigo, amor ou parente distante
Não fique esperando mudança.
Eu queria mesmo,
Sinceramente um apelo
Que não houvesse uma quebra
Mas não há saída
Não há ventos sobrando e dizendo o que fazer
Sei que a única maneira é largar o peso.
Deixar a mochila de trapos sujos e cansados
E partir adiante.
Quando há um motivo maior, isso deve ser respeitado
Dito e repensado
Milhões, e milhões de vezes
Mas cautela!
Muita parcimônia
Que seja!
Mas eu rezo,
Rezo, mas agora o vaso quebrou
E não há conserto.
Não, não há, não tem cola nem remendo.

3 comentários:

Isa disse...

Então acabou.

Stace disse...

também pra fazer escolhas no mínimo coerentes.

Stace disse...

rezo***